Filho de Arlindo Cruz fala de vício do pai em cocaína: ‘Peguei aversão a essa droga’

O cantor Arlindinho Cruz falou abertamente pela primeira vez sobre o vício por cocaína do pai, o sambista Arlindo Cruz. “Eu sempre soube. Ele contou [quando eu tinha] uns 11 anos. Peguei aversão a essa droga, as outras [drogas] tenho amigos que usam, eu não uso, mas respeito. Nunca tive a menor curiosidade de [experimentar] cocaína. Minha vibe é completamente outra”, afirmou o artista no canal do YouTube “Rica Perrone”. “Mesmo ele sendo esse cara maravilhoso, ele tinha uma fraqueza, um vício que mexe muito com o sistema nervoso central.” Arlindinho afirmou que o pai sempre foi um homem genial, mas acabou se prejudicando por causa da cocaína. “Meu pai só fez mal para ele mesmo. Ele foi bom para todo mundo, melhor pai do mundo, melhor amigo do mundo, se você conversar com 100 pessoas, 99 gostam dele e uma não vai gostar porque pegou ele num dia ruim”, comentou.

Em 2017, Arlindo sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ficou com sequelas que até hoje limitam seus movimentos e fala. O filho do artista contou que o sambista estava em “no melhor momento da vida” quando tudo aconteceu. “A gente estava em uma turnê juntos, ele estava feliz por estar me lançando, estava passando bastão. Ele estava se tratando, já estava há alguns meses sem usar droga”, disse o cantor, que também enfatizou que o pai nunca tinha ficado tanto tempo sem usar drogas e sem consumir bebida alcóolica. “Ele estava se cuidando, se alimentando melhor, conseguiu sair da cadeira de rodas, isso deu uma autoestima para ele, chegou a fazer shows em pé. Ele estava feliz, a família tranquila.” Arlindo teve o AVC dentro de uma banheira e foi socorrido pela esposa, Barbara Cruz, que ligou para Arlindinho pedindo ajuda. 

O filho do sambista disse que atualmente o pai não está em estado vegetativo e, mesmo com limitações, ele consegue expressar suas emoções. A família tem esperança que ele consiga voltar a se comunicar sem dificuldades. “Rolou uma esperança muito grande. Ele vai fazer uma troca de válvula que pode gerar uma grande melhora. Há relatos de pessoas que depois de anos sem falar, voltaram a ter a fala completa. Não entendo tecnicamente, mas essa válvula que ele tem, por esse tempo de pandemia, ele não pode ajustar ou trocar, o cérebro encheu de água, assim que diminuírem os casos [de Covid-19] a gente vai levar ele lá para trocar por uma válvula nova que vem dos Estados Unidos”, concluiu.

Ultimas notícias