Homem acusado de matar obstetra com 16 facadas em Conchal é julgado nesta sexta


Emilson Rodrigues de Jesus será julgado pelo crime de feminicídio e, segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, irá participar presencialmente do júri. Nelly Cristina Venite de Souza Maria foi assassinada em Conchal
Arquivo pessoal
O homem acusado de assassinar a obstetra Nelly Cristina Venite de Souza Maria, de 27 anos, em Conchal (SP), será julgado no início da tarde desta sexta-feira (24), no fórum da cidade.
Emilson Rodrigues de Jesus, que era namorado da vítima, está preso desde 20 de maio de 2018, quando foi encontrado pela Polícia Militar em Malacacheta (MG), um dia após o assassinato.
Ele será julgado pelo crime de feminicídio e irá participar presencialmente do julgamento, segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).
Nelly foi encontrada morta dentro da casa em que morava pela Guarda Civil Municipal (GCM) com ferimentos na cabeça, braços e tórax, além de sinais de estrangulamento.
LEIA TAMBÉM:
‘Ela lutava pelas mulheres’, diz amiga de obstetra assassinada
Relação de vizinho com obstetriz começou 1 mês antes do crime, diz cunhado
Família espera justiça
Nelly Venite foi assassinada a facadas em Conchal em 2018
Reprodução/Facebook
O pai de Nelly, José Eduardo de Souza Maria, informou ao g1 que não irá acompanhar o julgamento.
“Seria um desgaste desnecessário. Nada vai trazê-la de volta. Que no mínimo a justiça seja exemplamente feita”, disse.
Três anos após o crime, o que o professor e demais familiares da obstetra esperam é que a pena máxima seja aplicada.
“Mesmo sabendo, que de acordo com a lei, um terço do cumprimento da pena, já lhe dará benefícios. Sem contar que que paga a conta da estadia do assassino, somos nós, cidadãos do bem, infelizmente”, lamentou.
Crime
Kitnet onde a vítima morava em Conchal
Gean Mendes/F5 Conchal
No dia 19 de maio de 2018, Nelly foi encontrada pela GCM com ferimentos na cabeça, braços e tórax, além de sinais de estrangulamento.
De acordo com a GCM, o vizinho contou ter ouvido a vítima pedir socorro por volta das 3h e acionou as autoridades. Quando os gritos cessaram, ele viu o suposto namorado sair da kitnet onde a moça morava.
Os guardas municipais entraram na casa dele e encontraram 64 pinos de cocaína. Uma faca com marcas de sangue também foi apreendida.
Um dia depois do feminicídio, Emilson Rodrigues de Jesus, vizinho e com quem a mulher mantinha um relaciomento há cerca de um mês, foi preso pela Polícia Militar em Malacacheta (MG).
VÍDEOS: Reveja as reportagens do Bom Dia Cidade desta sexta-feira
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.

Ultimas notícias