Administradora de página que expõe moradores de cidade no AC em rede social é ouvida pela polícia

schimtz
schimtz Instagram
3 Min Read


Mulher se identificou como administradora de apenas um das três páginas investigadas pela Polícia Civil de Sena Madureira. Ela foi ouvida na manhã desta quinta-feira (12) e liberada. Perfis postavam ofensas, intimidades e fofocas de moradores de Sena Madureira
Reprodução
A administradora de uma das páginas de rede social investigadas por expor moradores de Sena Madureira, interior do Acre, foi ouvida pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (12). O depoimento faz parte da investigação que apura denúncias de moradores que se sentiram caluniados, injuriados ou difamados com as postagens.
A mulher não teve o nome divulgado e se apresentou como administradora de apenas um desses perfis, que, inclusive, já foi excluído. A Polícia Civil da cidade abriu dois inquéritos para investigar os casos.
O delegado responsável pelo caso, Marcos Frank, explicou que a mulher foi ouvida e liberada. Ela confessou que criou a página, mas que as postagens eram sugestões de outras pessoas. A suspeita foi identificada após a polícia pedir a preservação dos dados das vítimas e as informações cadastrais dos perfis.
“Ela confessou, disse que abriu a página e que as pessoas que mandavam as fofocas para ela. Criou para esse fim mesmo. Disse o nome de algumas pessoas que a gente precisa interrogar também, que são as que mandaram o fuxico”, contou.
Na segunda (9), pelo menos dez pessoas procuraram a delegacia para prestar queixa após terem sido citadas em postagens de duas páginas. Após as queixas, essas páginas foram excluídas, mas a polícia descobriu que foi criada uma terceira página com dados semelhantes.
Após o depoimento, Frank disse que vai intimar as pessoas citadas pela mulher. A autoridade policial espera também o repasse dos dados cadastrais dos outros perfis do Facebook.
A mulher deve responder por difamação ou injúria.
Mais de 200 moradores expostos
Nas páginas de fofoca, os administradores postam mensagens sobre a intimidade, relacionamentos, infidelidades, brigas e até ofensas aos moradores. Além disso, marcam o perfil da pessoa citada.
Segundo as investigações, mais de 200 pessoas foram ofendidas por três perfis. Porém, apenas dez buscaram a delegacia para denunciar os casos.
Com a abertura dos inquéritos, a polícia descobriu que dois desses perfis já foram desativados. “Tinha essa investigação há algum tempo contra um perfil que divulgava coisas com ofensas e injuriava várias pessoas. Na segunda [9], na parte de tarde, fomos procurados por diversas pessoas também se queixando de um perfil no Instagram que estaria divulgando algumas fofocas e também ofendendo a dignidade de algumas pessoas”, disse Marcos Frank.
VÍDEOS: G1 em 1 minuto

Share This Article