Escola de samba Gaviões da Fiel desiste de expulsar e afasta por três anos diretor de bateria filmado agredindo ex-mulher


Claudimir Teixeira é investigado por violência doméstica e descumprimento de medida protetiva. Ele foi filmado agredindo a ex-companheira no dia 29 de agosto. Com a medida, ele não ocupará cargos, mas segue como sócio e poderá frequentar as dependências da agremiação. Nota divulgada nas redes sociais da Escola nesta quarta (15)
Reprodução/Instagram
A Escola de Samba Gaviões da Fiel desistiu de expulsar e determinou o afastamento por três anos do diretor de bateria Claudimir Antônio Teixeira. Ele foi filmado agredindo a ex-mulher no dia 29 de agosto, em Osasco, na Grande SP, no meio da rua e em frente aos filhos.
Teixeira é investigado pela Polícia Civil por violência doméstica e descumprimento de medida protetiva.
A decisão foi publicada no perfil da agremiação nas redes sociais. Na nota, a escola alega “não aceitar violência contra a mulher” e informa a decisão pelo afastamento por três anos.
Com a medida, ele não poderá ocupar cargos na escola, mas permanece como sócio e poderá frequentar normalmente as dependências da agremiação.
“Foi decidido, pelo Conselho Deliberativo, punição ao agressor com a suspensão e afastamento por 3 anos e não ocupará nenhum cargo, posição ou qualquer vínculo com a entidade. A violência contra a mulher não pode ser tolerada e vamos seguir juntos nessa luta, que não é só da mulher, mas sim de toda a sociedade.”
O texto foi recebido com críticas por diversos seguidores e frequentadores da escola, que cobram a expulsão do diretor.
Em 2018, a então rainha de bateria, Tatiane Minerato, e a imperatriz da agremiação à época, Renatta Teruel, foram expulsas do desfile da escola após brigarem durante um ensaio técnico.
Investigação
Em imagens feitas em 29 de agosto, Claudimir Antônio Teixeira chegava com os dois filhos para deixá-los com a ex-mulher, Mayara Calderone.
A gravação mostra Mayara sendo empurrada contra a lateral de um caminhão pequeno por Claudimir e pela atual companheira dele, Claudia de Sousa, que aparece dando socos em Mayara.
Logo depois, Mayara cai e é arrastada pela calçada por Claudimir. As agressões só acabam quando o porteiro do condomínio intervém. Mayara precisou de atendimento médico. Ela postou fotos dos ferimentos que sofreu em uma rede social.
Escola de Samba Gaviões da Fiel afasta diretor de bateria que foi flagrado batendo na ex-mulher
Mayara contou que, depois da separação, há três anos, Claudimir passou a ameaçá-la de morte e a provocar situações de constrangimento. Por isso ela pediu uma medida protetiva contra o ex-companheiro, mas não adiantou.
O caso está sob investigação do 8º Distrito Policial de Osasco, que instaurou um inquérito policial.
Medidas protetivas concedidas às mulheres aumentam 44% no estado de SP em dois anos
O caso de Mayara foi registrado como violência doméstica, lesão corporal, injúria, difamação e descumprimento de medida protetiva de urgência. Ela disse que vai continuar tentando uma punição mais rigorosa para o ex-marido.
À época da denúncia, Claudimir disse que as agressões aconteceram porque a ex-esposa brigou com a atual companheira dele e que provaria sua inocência na Justiça. A reportagem não conseguiu contato com Claudia de Sousa.
Ex-mulher mostra hematomas após ser agredida por diretor da Gaviões e atual companheira dele
VÍDEOS: Veja mais notícias sobre São Paulo e região:

Ultimas notícias