Príncipe do Bahrein é investigado por entrar no Nepal com 2 mil vacinas contra Covid-19

O príncipe do Bahrein, o sheik Mohamed Hamad Mohamed al-Khalifa, desembarcou no Nepal nesta segunda-feira, 15, com duas mil doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvidas pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. Ele viajou à capital Katmandu junto com uma equipe composta por 16 integrantes, incluindo três cidadãos britânicos, que o acompanhariam em uma escalada ao Monte Everest. Segundo o príncipe, as doses suficientes para vacinar mil pessoas seriam doadas ao vilarejo Samagaun, que recentemente batizou uma montanha da Cordilheira do Himalaia de “Bahrein Royal Peaks”, em homenagem à família real do Bahrein. Ainda assim, o sheik está sendo alvo de uma investigação pelas autoridades do Nepal, que afirmam que as vacinas foram importadas sem a permissão ou mesmo o conhecimento do Ministério da Saúde. Além disso, o Departamento de Administração de Drogas do Nepal avalia se os imunizante sequer poderão ser utilizados, já que a campanha nacional prioriza pessoas com mais de 65 anos de idade.

Ao jornal britânico The Guardian, o porta-voz da Embaixada do Bahrein na Inglaterra negou veementemente a acusação contra o sheik Mohamed Hamad Mohamed al-Khalifa, afirmando que ele e sua equipe tiveram aprovação total para entrar no Nepal com as vacinas. O representante acrescenta que a Embaixada do Nepal no Bahrein também confirmou que tudo não passou de um mal entendido e pediu desculpas tanto pela confusão quanto pelos “subsequentes relatos da mídia sobre o assunto”. Através de uma conta no Instagram intitulada “Bahrein Everest”, o príncipe e sua equipe de alpinistas haviam inclusive postado fotos ao lado das caixas contendo as doses da vacina contra a Covid-19, reiterando que elas seriam doadas ao vilarejo Samagaun. No entanto, a atitude gerou críticas do Instituto de Direitos e Democracia do Bahrein, que acusou a monarquia de usar o novo coronavírus como uma “oportunidade de relações públicas”. “Este ato equivocado de filantropia é indicativo de um regime que assume que sua riqueza lhe dá o direito de atropelar as leis de um estado soberano, potencialmente estragando vacinas vitais no processo”, defendeu.

Renomear picos locais com nomes de dignitários não é incomum na Cordilheira do Himalaia, onde guias de montanha e sherpas passaram um ano sem a renda usual que turistas e montanhistas fornecem devido à pandemia do novo coronavírus. Moradores de outra vila no distrito anteriormente batizaram uma montanha de “Harry Hill”, em homenagem ao príncipe Harry, que ajudou a reconstruir uma escola na área após um terremoto devastador em 2015. O príncipe do Bahrein obtiveram uma autorização especial para viajar para o Himalaia em outubro de 2020, apesar da proibição de visitantes estrangeiros devido à Covid-19. Eles cumpririam uma quarentena de uma semana antes de tentar escalar o Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, no final deste mês.

 

Ultimas notícias

Influenciadora e namorado são encontrados mortos em Minas Gerais; Polícia Civil acredita em feminicídio

A influenciadora digital e cantora sertaneja Livvia Bicalho, 37 anos, e seu namorado, Rafael Ribeiro, de 39 anos, foram encontrados mortos na tarde de...

Falta de chips faz Jaguar parar produção de duas fábricas no Reino Unido

A Jaguar Land Rover anunciou nesta quinta-feira que vai interromper temporariamente a produção de duas de suas principais fábricas no Reino Unido em razão...

Pai de Viih Tube, do ‘BBB 21’, procura a Justiça após a filha ser ameaçada de morte

O produtor Fabiano Moraes, pai de Viih Tube, está tendo que lidar com a repercussão negativa que a participação da filha no “BBB 21”...

Pai de Viih Tube, do ‘BBB 21’, procura a Justiça após a filha ser ameaçada de morte

O produtor Fabiano Moraes, pai de Viih Tube, está tendo que lidar com a repercussão negativa que a participação da filha no “BBB 21”...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com