Uruguaio que percorre o Brasil limpando praias se diz assustado com quantidade de lixo em Maceió: 'Situação triste'


Mathias Ferreira já passou por 9 estados brasileiros e, mesmo sem apoio, segue viagem recolhendo lixo para chamar atenção para a importância da preservação do meio ambiente. Durante passagem por Maceió, uruguaio lamneta lixo jogado no Riacho Salgadinho
Foi por querer transformar o mundo que Mathias Ferreira saiu de sua cidade natal no Uruguai com uma ideia e muita força de vontade. O primeiro destino: Brasil. Já são quase três anos de viagem, nove estados percorridos e muito trabalho pelo litoral brasileiro, onde o uruguaio recolhe o lixo que encontra nas praias.
Em entrevista ao G1 nesta segunda-feira (9), Mathias contou o que viu nas três semanas em que percorreu as praias alagoanas, do Litoral Sul ao Litoral Norte.
“Posso dizer que tive muito trabalho em Maceió, principalmente na área próxima ao Riacho Salgadinho. Situação muito triste. Eu tirei tudo o que pude, muito lixo nas redes dos pescadores. As pessoas estão comendo plástico. Fico muito triste em dizer, mas Maceió foi um dos lugares com mais lixo que encontrei no Brasil”, lamenta.
Tatuador uruguaio cria projeto para limpar praias da América Latina e em visita à BA diz que estado é um ‘paraíso literal’
Mudanças recentes no clima causadas pelo homem não têm precedentes, aponta ONU
Foi apostando no ativismo que o uruguaio criou no ano 2000 o projeto Re-evolução, com uma pegada artístico-crítica. A intenção é registrar o acúmulo de lixo no litoral brasileiro e mostrar o quão tóxico esses resíduos são para o meio ambiente.
“A mensagem que quero passar é de revolução e consciência para que as pessoas passem a repensar a sua maneira de atuar diante do lixo, diante da natureza. A gente está sofrendo as consequências disso. A gente vai ter que aprender a respeitar a natureza, do contrário, ela vai nos consumir”, explica.
Mathias Ferreira percorre o litoral brasileiro limpando o lixo que encontra nas praias; máscara de proteção é usada para chamar atenção para o seu trabalho
Repordução/Instagram
Neto de brasileira, ele se intitula cidadão do mundo, mas elegeu o Brasil para morar. Antes de Alagoas, já tinha passado por Bahia, Sergipe, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo.
Viajando a pé e de carona, Mathias tem encontrado muita dificuldade, mas a ajuda de estranhos tem sido fundamental.
“Tenho caminhando praia por praia, fazendo a viagem a pé e sem apoio financeiro. Eu procuro hostel ou pousada para fazer parceria. Na estrada, a gente conhece muita gente, muita amizade boa e que vai ajudando, incentivando a ir sempre para frente”, disse.
Mathias registrou o lixo acumulado no Pontal do Peba, Alagoas
Reprodução Instagram
O roteiro segue, assim como o trabalho de limpeza das praias. Mas viajar ficou mais difícil depois de ter sido assaltado no Rio de Janeiro e de ter perdido todos os seus documentos. Agora ele precisa viajar para Pernambuco para conseguir um novo passaporte.
“Tenho agora comigo somente a minha carteira de trabalho. Sem o meu passaporte não posso sair do país. Eu estou em um sofrimento, vou tentar ir ao Consulado do Uruguai em Recife para tirar os meus documentos, do contrário, não conseguirei sair do Brasil”.
Apesar das dificuldades que existem, Mathias segue firme e com mais certeza no seu propósito: mostrar ao mundo que uma atitude pode fazer toda a diferença.
“Eu estou dando a minha vida nisso e eu tenho esse desejo de que as pessoas possam realmente se conscientizar”, afirma o uruguaio.
Mathias Ferreira criou projeto Re-Evolução em 2020
Reprodução/Instagram
Veja os vídeos mais recentes do G1 AL
Veja mais notícias da região no G1 AL

Ultimas notícias