Vídeo: Como o Talibã usou as redes sociais para impulsionar avanço no Afeganistão

schimtz
schimtz Twitter
2 Min Read

Tomada do Afeganistão é mais um desafio para gigantes de tecnologia na propagação de discursos extremistas. Uso das redes sociais pelo Talibã impulsionou avanço no Afeganistão
A tomada do Afeganistão pelo Talibã representa mais um desafio para as grandes empresas de tecnologia dos EUA na propagação de discursos extremistas via redes sociais. Nesta quinta (19), um porta-voz do grupo terrorista declarou, via publicação no Twitter, que o país passou a ser o Emirado Islâmico do Afeganistão.
Initial plugin text
‘Não haverá democracia. A lei é a sharia e é isso’, diz comandante do grupo em vídeo
O uso das redes sociais pelo Talibã vem chamando atenção, e as empresas estão sendo cobradas a se posicionar. Segundo informações do New York Times, mais de cem novas contas e páginas surgiram no Twitter nos últimos dias manifestando apoio ao grupo.
Veja a cronologia da tomada de poder do Talibã
Histórias e relatos sobre o caos no Afeganistão
Os responsáveis pela política de conteúdo do Facebook disseram que a empresa considera o Talibã uma organização perigosa e que proíbe os conteúdos que apoiam o grupo em suas plataformas. A gigante de tecnologia também disse que o grupo não será autorizado na rede social mesmo que os EUA venham a suspender sanções.
De acordo com analistas, a propagação dos discursos via redes sociais foi fundamental para viabilizar a conquista do território afegão porque facilitou a comunicação. No começo de junho, o grupo disseminou uma mensagem oferecendo o contato para militares do governo que quisessem se render.
LEIA TAMBÉM
Conteúdo identificado como discurso de ódio no Facebook subiu 389% em 1 ano

Share This Article